ENTRE A EFEMERIDADE E A IMPERMANÊNCIA

A CONFIGURAÇÃO DAS RELAÇÕES SEXUAIS EM “FACTÓTUM”, DE CHARLES BUKOWSKI

Autores

  • Rian Lucas da Silva IFPB
  • Rafael Torres Correia Lima IFPB

Palavras-chave:

literatura norte-americana, Charles Bukowski, Factótum, relações sexuais, modernidade líquida

Resumo

Em contextos cada vez mais globalizados, observam-se as relações humanas cada vez mais demarcadas sob um estado de desânimo e despreocupação, revelando esferas de convívio progressivamente mais frágeis. Nesse cenário, o presente artigo objetiva analisar o modo como se configuram as relações sexuais dos personagens no romance “Factótum”, do escritor norte-americano Charles Bukowski, cujas obras apresentam sujeitos costumeiramente marginalizados, como prostitutas e bêbados. O referido romance narra, por intermédio de uma linguagem transgressora, informal e bastante ferina, a vida diária desses sujeitos frente às problemáticas encontradas no dia a dia. Para a realização da análise, utilizou-se, principalmente, dos pressupostos teóricos do sociólogo e filósofo contemporâneo Zygmunt Buaman, especialmente no que se refere aos estudos sobre a modernidade líquida, além das importantes contribuições de Débora Silva. Como resultado desse estudo, verificou-se que, na narrativa, a configuração das relações sexuais dos personagens se dá mediante momentos completamente efêmeros e transitórios, caracterizando, assim, relações amplamente líquidas às quais Bauman tanto se referia.

Biografia do Autor

Rian Lucas da Silva, IFPB

Graduando no curso de Licenciatura em Letras com habilitação em Língua Portuguesa pelo Instituto
Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Paraíba (IFPB)

Rafael Torres Correia Lima, IFPB

Possui graduação em Letras pela Universidade Federal da Paraíba (2008), Especialização em Língua Portuguesa pela Faculdade Integrada da Grande Fortaleza (2012), Mestrado em Letras pela Universidade Federal da Paraíba (2011) e doutorado em Letras pela Universidade Federal da Paraíba (2017).

Referências

BAUMAN, Zygmunt. Modernidade e ambivalência. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed., 1999.

BAUMAN, Zygmunt. Modernidade líquida. Rio de Janeiro: Zahar Ed., 2001.

BAUMAN, Zygmunt. Amor líquido: sobre a fragilidade dos laços humanos. Rio de Janeiro: JorgeZaharEd., 2004. BUKOWSKI, Charles. Factótum. Porto Alegre: L&PM, 2018.

CAMPOS, José Roberto. Morre Bukowski, escritor da marginalidade. Folha de São Paulo, São Paulo, 11 de março de 1994. Disponível em: https://www1.folha.uol.com.br/fsp/1994/3/11/mundo/10.html. Acesso em: 25 jun. 2021.

DEL PRIORE, Mary. História íntimas: sexualidade e erotismo na história do Brasil. São Paulo: Editora Planeta do Brasil, 2011.

FISCHER, Luís Augusto. A linguagem da sarjeta nos poemas diretos e cativantes de Bukowski. Folha de São Paulo, São Paulo, 30 de junho de 2003. Disponível em: https://www1.fo-lha.uol.com.br/fsp/folhatee /fm3006200319.htm. Acesso em: 25 jun. 2021.

LIMA, Marcus Vinicius Santana. Quando um carteiro se torna escritor: representações, práticas e apropriações na obra literária de Charles Bukowski. In: Anais do VI Simpósio Nacional de História Cultural Escritas da História: Ver – Sentir – Narrar, Universidade Federal do Piauí – UFPI, 2012.

SILVA, Débora. A modernidade líquida na ciberpoesia de Antero de Alda. Texto Digital, v. 8, n. 2, p. 337-360, 2012.

Downloads

Publicado

2021-11-24

Como Citar

SILVA, R. L. da; LIMA, R. T. C. ENTRE A EFEMERIDADE E A IMPERMANÊNCIA: A CONFIGURAÇÃO DAS RELAÇÕES SEXUAIS EM “FACTÓTUM”, DE CHARLES BUKOWSKI. Anais do Encontro Virtual de Documentação em Software Livre e Congresso Internacional de Linguagem e Tecnologia Online, [S. l.], v. 10, n. 1, 2021. Disponível em: https://nasnuv.com:443/ojs2/index.php?journal=CILTecOnline&page=article&op=view&path[]=646. Acesso em: 5 fev. 2023.