ELABORAÇÃO DE SEQUÊNCIAS DIDÁTICAS NO PARADIGMA DO PÓS-MÉTODO E O PAPEL DOS SOFTWARES LIVRES

Autores

Palavras-chave:

software livre, pedagogia pós-método, cultura livre, autonomia, sequência didática

Resumo

Falar sobre “tecnologia na educação” é normalmente um tema polêmico e que permite diversas reflexões. Apesar de ser um assunto debatido há tempos, sabemos o quanto ele está em evidência devido ao contexto mundial em que estamos vivendo com a pandemia de COVID-19. Para quem nunca havia ouvido falar em Moodle, apps, plataformas de reunião remotas e softwares, certamente este vocabulário já não é tão estranho assim, e já está inserido, de alguma forma, no cotidiano de grande parte da comunidade. Neste trabalho, faremos uma revisão bibliográfica para tratar das implicações dos softwares livres no processo de ensinagem, a partir dos princípios do pós-método (KUMARAVADIVELU, 2001). Segundo Taurion (2004, p. 17) apud Souza (2016), o programador do software livre “outorga a todos direitos de usar, copiar, alterar e redistribuir o programa”, e, nesta perspectiva, compreendemos que diante do ensino remoto ou híbrido, os softwares livres podem se tornar estratégias ativas na preparação de materiais nas aulas de línguas estrangeiras. Os materiais em línguas estrangeiras requerem uma atenção especial, pois nem sempre estão de acordo com o perfil e a realidade da turma (TOMLINSON, 2016), necessitando do professor um trabalho mais cauteloso na hora da preparação das aulas. Assim, como resultado deste estudo, foi possível construir uma proposta de sequência didática elaborada a partir de softwares livres e das concepções do pós-método.

 

 

Biografia do Autor

Roberta Silva Santos, Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais

Doutoranda em Estudos de Linguagens no Centro Federal de Educação Tecnológicas de Minas Gerais (CEFET-MG). Mestre em Educação pelo Programa de Pós Graduação Strictu-Sensu Profissional em Educação da Universidade Federal do Vale do Jequitinhonha e Mucuri (UFVJM). Possui especialização em Língua Inglesa pelo Instituto Superior de Educação. Licenciada em Letras Inglês pela Universidade Estadual de Montes Claros (UNIMONTES). Fez aperfeiçoamento em "English as a Second Language" realizado na Universidade Arapahoe Community College (EUA, CO - 2009). Capacitada em Ensino de Língua Inglesa para falantes de outra língua pela LINGUAEDGE (TESOL teacher training program, USA) . Foi professora no Centro Cultural Anglo Americano (CCAA) . É atualmente servidora efetiva do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Norte de Minas Gerais e está vinculada a Assessoria de Relações Internacionais atuando como Coordenadora Institucional do Programa Idiomas Sem Fronteiras e como Representante do Núcleo de Mobilidade Acadêmica. Compõe a banca de elaboração das provas de vestibular do IFNMG, na área de Língua Inglês.

Referências

ARAÚJO, D. L. de. O que é (e como se faz) sequência didática?. Entrepalavras, ano 3, v. 3, n. 1, p. 322-334, jan.-jul. 2013.

BUNZEN, C. O ensino de língua materna em tempos de pandemia. In: RIBEIRO, A. E.; VECCHIO, P. M. M. (Orgs.) Tecnologias digitais e escola: reflexões no projeto aula aberta durante a pandemia. São Paulo: Parábola, 2020.

CAMPOS et al. Getting to know new people. 2021. Disponível em: . Acesso em: 10 set. 2021.

FREE Software FOUNDATION. s.d. Disponível em: <https://www.fsf.org/>. Acesso em: 09 set. 2021.

KUMARAVADIVELU, B. Toward a Postmethod Pedagogy. TESOL Quarterly, Teachers of English to Speakers of Other Languages, Inc. (TESOL), v. 35, n. 4, p. 537–560, 2001.

LESSIG, L. Free Culture: The Nature and Future of Creativity. Penguin Group US, 2004.

LEVY, P. Inteligência coletiva (A). Edições Loyola, 2007.

RIBEIRO, A. E. Divulgação e Letramento Científico: para além dos muros da academia. Entrevista concedida a Paulo Geovane e Silva. Revista Ponte, v. 1, n. 4, mai. 2021.

SILVEIRA, S. Software livre: a luta pela liberdade do conhecimento. Editora Fundação Perseu Abramo, 2004. (Brasil urgente).

SOUZA, R. F. Implicações do uso de material didático virtual livre em contexto formal de ensino-aprendizagem de italiano como LE/L2: a perspectiva dos problemas de ensino. São Paulo: FFLCH-USP, 2016.

TAURION, C. Software livre: potencialidades e modelos de negócio. Brasport, 2004.

TOMLINSON, B. (Ed.). SlA Research and Materials Development for Language Learning (1st ed.). New York: Routledge. 2016.

ZABALA, A. A prática educativa: como ensinar. Porto Alegre: Artmed, 1998.

Downloads

Publicado

2021-11-24

Como Citar

GONTIJO CAMPOS, B.; SILVA SANTOS, R. ELABORAÇÃO DE SEQUÊNCIAS DIDÁTICAS NO PARADIGMA DO PÓS-MÉTODO E O PAPEL DOS SOFTWARES LIVRES. Anais do Encontro Virtual de Documentação em Software Livre e Congresso Internacional de Linguagem e Tecnologia Online, [S. l.], v. 10, n. 1, 2021. Disponível em: https://nasnuv.com:443/ojs2/index.php?journal=CILTecOnline&page=article&op=view&path[]=951. Acesso em: 5 fev. 2023.