O LIVRO COMO CONECTOR

METODOLOGIAS ATIVAS NA APRENDIZAGEM DE PORTUGUÊS PARA ESTRANGEIROS

Autores

Palavras-chave:

português língua estrangeira, aprendizagem híbrida, letramento digital, metodologias ativas, literatura

Resumo

Este artigo visa a apresentar práticas de desenvolvimento das habilidades de uso real da língua portuguesa, com interação e de forma colaborativa, por estudantes (jovens entre 18 e 25 anos) do Convênio de Graduação do Ministério da Educação – PEC-G na Universidade de Brasília, que oferece oportunidades de formação profissional a cidadãos de países em desenvolvimento. Entretanto, esses jovens precisam fazer o exame de proficiência na língua portuguesa o CELPE-Bras – que significa: Certificado de Proficiência em Língua Portuguesa para Estrangeiros. para estarem aptos a cursar a formação superior nas universidades públicas brasileiras. O estudo circunscreve-se aos pressupostos teóricos de língua e linguagem nas práticas sociais de PERINI (2010) e BAKHTIN (2013), das tecnologias digitais como recursos pedagógicos de ROJO (2013), KENSKI (2006) e PAIVA (2008); do letramento digital de MARTINHO (2005), de FURTADO (2015) e de BEHAR (2013), das metodologias ativas de MORAN (2015), da aprendizagem híbrida de  HORN e STAKER (2015) e PINTO (2017) e da aprendizagem combinada de RELVAS (2021). A metodologia é interpretativista, conforme MOITA LOPES (1994) e de cunho etnográfico, GEGEO (1995). As atividades pedagógicas multimodais foram realizadas, em grupos de 3 ou 4 aprendizes, a partir da leitura do livro “O meu pé de laranja lima” um clássico da literatura brasileira de José Mauro de Vasconcelos (1963). A finalidade era que cada grupo gravasse um vídeo de até 3 minutos comentando o livro à semelhança dos Booktubers. Ou seja, fazer uma pequena apresentação pessoal do grupo, apresentar o livro, recomendar ou não, a sua leitura, de forma interativa, usando a lingua portuguesa. A escolha do livro deve-se a diversos fatores, tais como: a linguagem simples; por ser um clássico da literatura brasileira adaptado para o cinema, teatro, teledramaturgia e traduzido em mais de 25 países;  pelas dificuldades vividas pelo protagonista da história o menino “Zezé”, pobre e sonhador, de inteligência acima da média, que suporta as dificuldades da vida à semelhança do cenário vivenciado pelos aprendizes que veem para o Brasil em busca da oportunidade de formação superior nas universidades públicas, passando por situações de fragilidade no processo de integração à sociedade brasileira. Quanto às metodologias pedagógicas aplicadas, foi muito importante mostrar a utilidade do que eles estavam aprendendo, isto é, o desenvolvimento das habilidades de leitura, de fala, de escuta, enfim, o uso real da língua portuguesa nas práticas sociais da linguagem. Um outro aspecto importante que cabe ressaltar é a escolha do uso do celular como instrumento pedagógico, por ser acessível aos aprendizes, promover o letramento digital, o trabalho colaborativo, o processo de curadoria, além de tornar a aula dinâmica com a leitura e a produção dos vídeos. A análise e as considerações têm por base os registros e as anotações de campo da professora regente, o visionamento dos vídeos e a autoavaliação dos estudantes como usuários da língua portuguesa.

Biografia do Autor

Sra. Eliana Barbosa, UnB

A autora é mestra em Linguística Aplicada pela Universidade de Brasília. Possui formação em português como segunda língua e espanhol pela UnB, em português e literaturas pela UFRJ – Universidade Federal do Rio de Janeiro e pós-graduação em tradução de espanhol pela UGF - Universidade Gama Filho. Tem experiência como professora de Português Língua Estrangeira no Programa de Estudantes Convênio  de Graduação – Pré-PEC-G, de Português Lingua de Acolhimento no Projeto Proacolher na Cátedra Sérgio de Mello. Participa das Aplicações de Exames e Avaliações do INEP e na Avaliação Nacional da Alfabetização – ANA. Corrige redações do ENEM – Exame Nacional de Ensino Médio e atua como aplicadora nos exames CELPE-Brás – Certificado de Proficiência em Língua Portuguesa.

Referências

BEHAR, P. A. Modelos pedagógicos em educação a distância. Porto Alegre: Penso (2013)

FURTADO, R. N. M. Letramento digital na educação a distância: reflexões sobre o Ambiente Virtual de Aprendizagem (AVA). Solar. Revista Horizontes de Linguística Aplicada, ano 14, n. 1, 2015. Disponível em: < https://periodicos.unb.br/index.php/horizontesla/article/view/1387>. Acesso em: 08 set. 2021.

HINE, C. Etnografia Virtual. Barcelona: Editorial UOC, 2000. Disponível em: <https://www.surrey.ac.uk/people/christine-hine> Acesso em: 21 jun. 2021.

HORN, M.; STAKER, H. (2015). Blended: usando a inovação disruptiva para aprimorar a educação. Porto Alegre, Brasil: Penso.

KENSKI, V. M. Tecnologias e ensino presencial e a distância. 3. ed. Campinas: Papirus. 2006

MARTINHO, (2005) Letramento digital - (MARTINHO, 2005, p. 135 apud ROSA e DIAS, 2012, p. 33). E Furtado (2015, p. 90),

MOITA LOPES, L. P. “Pesquisa interpretativista em linguística aplicada: a linguagem como condição e solução”. D.E.L.T.A., 1994, Vol. 10, No. 2, pp. 329- 338..

PAIVA,V.L.M.O. Aquisição de Segunda Língua Uso da Tecnologia no Ensino de Línguas Estrangeira: breve retrospectiva histórica. Editorial Parábola – SP. 2008.

PERINI, M. Sobre língua, linguagem e Linguística: uma entrevista com Mário A. Perini. ReVEL. Vol. 8, n. 14, 2010. ISSN 1678-8931 [www.revel.inf.br].

PINTO (2017) - Ensino híbrido: personalização e tecnologia na educação

[recurso eletrônico] / Organizadores, Lilian Bacich, Adolfo Tanzi Neto, Fernando de Mello Trevisani. – Porto Alegre: Penso, 2015.e-PUB.

MORAN, J. M. A educação que desejamos: novos desafios e como chegar lá. Campinas: Papirus, 2012.

RELVAS M. Ensino Híbrido: Uma Aprendizagem Combinada, Planeta Educação – 2021. Disponível em: https://www.plannetaeducacao.com.br/portal/a/406/ensino-hibrido-uma-aprendizagem-combinada Acesso em Fev 2021.

ROJO, Roxane (Org.). Escol@ conectada: os multiletramentos e as TICs. São Paulo: Parábola, SP. 2013.

TREVISANI F.M., NETO A.T., BACICH L.Ensino híbrido: personalização e tecnologia na educação [recurso eletrônico] / Organizadores, Lilian Bacich, Adolfo Tanzi Neto, Fernando de Mello Trevisani. – Porto Alegre: Penso, 2015.e-PUB. Disponível em: https://www2.ifal.edu.br/ensino-remoto/professor/apostilas-e-livros/ensino-hibrido.pdf Acesso em 21.06.2021.

VASCONCELOS, José Mauro de. O meu pé de laranja lima. São Paulo, Editora Melhoramentos, 2005. 2ª edição, 115ª impressão. 192 páginas - Disponível em: < https://www.estantevirtual.com.br/livros/jose-mauro-de-vasconcelos/o-meu-pe-de-laranja-lima/281907273> Acesso em 21.06.2021

WATSON GEGEO, Karen Ann. Ethnography in ESL: Defining the Essentials. Readings on second language acquisition. Englewood Cliffs, NJ: Prentice Hall, 1995. p. 36-54. A Etnografia na sala de aula de segunda língua – Definindo o que é essencial - Tradução de

Consultas web:

Literatura compartilhada: uma análise da cultura participativa, consumo e conexões nos booktubers - http://www.unicentro.br/rbhm/ed08/dossie/10.pdf

https://catracalivre.com.br/geral/dica-digital/indicacao/conheca-5-booktubers-brasileiros-e-tenha-dicas-bacanas-de-leitura/

https://itunes.apple.com/br/app/gopro-quik-editor-video-gratis/id694164275?mt=8

http://canaltech.com.br/dica/apps/9-aplicativos-para-edicao-de-video-em-seu-smartphone/

http://lelivros.black/book/download-o-meu-pe-de-laranja-lima-jose-mauro-de-vasconcelos-em-epub-mobi-e-pdf/.

Downloads

Publicado

2021-11-24

Como Citar

BARBOSA DOS SANTOS, E. O LIVRO COMO CONECTOR: METODOLOGIAS ATIVAS NA APRENDIZAGEM DE PORTUGUÊS PARA ESTRANGEIROS. Anais do Encontro Virtual de Documentação em Software Livre e Congresso Internacional de Linguagem e Tecnologia Online, [S. l.], v. 10, n. 1, 2021. Disponível em: https://nasnuv.com:443/ojs2/index.php?journal=CILTecOnline&page=article&op=view&path[]=958. Acesso em: 5 fev. 2023.